AS FADAS ENCANTADAS

AS ANJANAS
Fadas de Cantábria

Com o nome de Anjanas (em Cantábria), se conhecem as Fadas bondosas e formosas, conhecidas pelas suas grandes qualidades.

 É de caráter tranqüila, possuindo grandes virtudes e grande pureza. Nao existe nelas nenhum  pensamento áspero ou impuro.     Sao abnegadas, possuindo força de vontade e propósitos claros, "no coraçao das Anjanas, é como se uma rosa enorme brotasse com gotas de mel em suas pétalas, oferecendo sempre consolo, como uma Mae carinhosa".

 Seu vestuário consiste em uma roupa vaporosa, com capas e varinha de condao para realizar seus milagres ou atender os desejos de pessoas que merecem sua atençao.  Ao invés de roubar crianças humanas como outros seres, elas as protegem, sendo confundida algumas vezes com anjos da guarda.  Nao cuidam animais como outros tipos de fadas mas os socorrem de perigos eminentes.

 Abandonam logo quando amanhece, suas moradas secretas, muitas vezes de forma invisível aos olhos de qualquer humano.  Dizem que dentro de suas covas, o chao é de ouro puro e as paredes sao de prata.  Já a entrada é sempre coberta por neblinas espessas que ao se dissiparem fecham a saída.

As Anjanas cuidam dessas entradas que levam a um Mundo diferente do nosso.  Ao redor dessas entradas sempre se nota determinadas plantas e flores silvestres que nascem revelando sua existência.   Sua gruta encantada é sempre coberta de musgo e uma fonte deve brotar por perto.

 Antes de salir de suas grutas, quando estao bem na entrada, costumam sentar-se e pentear seus largos cabelos com pentes de coral, outras vezes de ouro.  Esses pentes sao adornados com lacinhos de seda ou com pedras preciosas.
 

Quando deixam a gruta, é comum que os pássaros anunciem sua presença em nosso Mundo com autênticas algazarras.  Sao amantes desses animais e costumam conversar com eles, entendendo perfeitamente a linguagem de todos os animais do bosque..

 Como seres mágicos que sao, compreendem os segredos dos elementos.  Quando existe uma fada próximo a uma fonte, um mortal pode escutar sons estranhos no vento e nas águas das fontes. O vento se agita, as águas se inquietam e logo ficam serenas e tranquilas.

Sua missao é colorir as flores, dando uma frequencia no tom das pétalas que só existem em seu Mundo Mágico.  Limpam as águas das fontes e fazem crescer determinados tipos de plantas.  Tamém ajudam as árvores menores a crescerem, protegendo de determinados animais para que nao pereçam ao serem comida por eles.  Normalmente transformam essas pequenas árvores em invisíveis até que possam aguentar que os animais arranquem algumas de suas folhas para se alimentarem.  Adoram os abetos, os robles e as castanheiras.  Adoram as flores das árvores de amendoas (almendros), com as quais sempre decoram suas cabeças em forma de coroa de flores.

 Adoram cantar notas melancólicas e dançam sempre para  a Lua Cheia.   Mas dizem que as Anjanas camtam apenas dois tipos de músicas:  uma muito alegre e rápida, e outra muito triste e melancólica.  Quando cantam essa música triste, significa que vao embora, que o bosque está morrendo ou que aquele lugar tende a desaparecer e o portal que conecta os dois Mundos (real e imaginário) foi destruído.

Em Cantábria, dizem que o único momento para conseguir ver esses seres, é ir até um desses lugares mágicos antes de sair o sol e esperar até ouvir esse cântico das Anjanas.

Uma vez ao ano, dia de sexta-feira santa, as Anjanas vestem roupas negras, escondem seus cabelos loiros com lenços de cor escura ou cinza.  Usam uns sapatos estranhos de cor marron terra.  Geralmente usam roupas de tons pastel menos uma vez ao ano.   Quem já viu uma Anjana sabe que tem uma pele muito branca e clara, por vezes parece transparente.

É comum na primavera ver essas mulheres nos campos e nas montanhas recolhendo flores para confeccionar as coroas que usam em suas cabeças.  Mas se um mortal se aproxima, imediatamente desaparece salvo algumas exceçoes.

Muitas descriçoes de Anjanas as descrevem levando uma espécie de bastao que vai mudando de cor ao olhar.  Muitos estao feitos de galhos de árvores e com eles realizam prodígios e seus encantamentos.  Outras vezes esses bastoes sao tao grandes que elas se apoiam neles para caminhar.  Possuem algo luminoso em suas pontas que ninguém até hoje soube decifrar, apenas dizem que se parece a uma estrela que brilha de noite e as delata no meio da escuridao do bosque.

Esse bastao ou varinha, sempre é levado na mao direita.  Se deduz que a diferença de tamanho e cor dos bastoes possam revelar sua utilidade que determina o tipo de magia que pode realizar.

Apesar de nao ser frequente, algumas Anjanas possuem asas que utilizam para suspender-se a quase um metro do chao.   Dizem que as Anjanas costumam cortar o caminho das bruxas impedindo que estas adentrem seus domínios.

Quando um caminhante se perde nas montanhas e bosques encantados, sem conseguir encontrar seu caminho de volta, normalmente devido a densa névoa ou neblina muito forte, basta pronunciar doze vezes estas palavras:

"Anjana branca, tem piedade de mim.
Guia meus passos pela escuridao e leva-me através da neblina.
Livra-me dos perigos do bosque e dos animais famintos.
Prometo preservar a floresta, as fontes e me tornar uma guardia do bosque, sua morada.
 

Texto de Isabel Aguirre
2000 - Todos os direitos reservados

Imagem:  Site de Asak
Fonte Internet 1998