CONTOS E LENDAS:
O Negrinho do Pastoreiro
Uma adaptação de Isabel Aguirre



 

NOTA: A história do Negrinho é apenas uma das 94 lendas compiladas por Antonio Augusto Fagundes no livro Mitos e Lendas do Rio Grande do Sul.
          Contam que um belo menino escravo, costumava violar as ordens do capataz da fazenda onde vivia, cavalgando às escondidas nos cavalos de  propriedade do amo e senhor da casa. 

          Um belo dia, numa dessas escapadas, o capataz descobre a fuga, persegue e consegue agarrar o menino.  Como castigo mortal, aplicam muitas chicotadas, amarrando  e deixando o pobre garotinho  ali ensangüentado,  jogado em cima de um formigueiro. 

          Depois de sua morte dolorosa, coisas estranhas começaram a ocorrer na fazenda.  Tudo o que era dado por perdido, bastava formular um pedido ao Negrinho do Pastoreiro para de imediato ser encontrado.  Bastava dizer:

"Belo Negrinho!
Eu lhe faço um pedido
porque dou por perdido 
o meu..."

Todos afirmavam ver nas noites de lua cheia, o negrinho  montado no cavalo do amo e senhor da fazenda, galopando pela pradaria durante toda a noite.

          Tanto o amo e senhor da fazenda como o capataz, saíam cada noite à caça do menino morto. O relinchar e o galope frenético  do cavalo era ouvido sempre ao longe... 

E de tanto  perseguirem o ente mágico pelas pradarias, o Negrinho do Pastoreiro acabou virando uma lenda.

Isabel Aguirre
© Copyright 1999 Todos os Direitos Reservados - All Rights Reserved.
Proibida sua reprodução sem o consentimento por escrito da autora.